OFERECIMENTO: MERCANTIL ESTRELA!

OFERECIMENTO: MERCANTIL ESTRELA!

SEJA UM DE NOSSOS SEGUIDORES

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

COM SALÁRIOS ATRASADOS, PMS DA GRANDE NATAL NÃO SAEM ÀS RUAS.


Os policiais militares que fazem o patrulhamento nas quatro zonas administrativas de Natal e também na Região Metropolitana não saíram para trabalhar nesta terça-feira (19). O motivo é o atraso salarial dos servidores do Estado, que atinge todas as categorias do funcionalismo público do Rio Grande do Norte.

O G1 confirmou com o comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Zacarias Mendonça, que os PMs do 3º (com atuação em várias cidades da Grande Natal), 1º (Zona Leste de Natal) e 4º (Zona Norte de Natal) batalhões estão parados. Eles se apresentaram para o serviço na manhã desta terça (19), no entanto não saíram para as ruas.

A reportagem da Inter TV Cabugi esteve também no 5º e no 9º batalhão, que são responsáveis pela cobertura policial nas regiões Sul e Oeste da capital, respectivamente, e a situação é a mesma.

O comandante do 11º Batalhão, tenente-coronel Marlon de Gois, confirmou que os policiais lotados por lá também não saíram da unidade. “Estamos conversando com eles para ver como será a saída para a rua”, afirmou o tenente-coronel. O 11º é o batalhão responsável pela outra parte da Região Metropolitana.

Na cidade de Mossoró, a segunda maior do estado, parte dos policiais também ficou dentro do 2º Batalhão. De acordo com o sargento Rivelino Oliveira, das seis viaturas que rodam diariamente no município, duas estão operando nesta terça (19).

De acordo com Josivan Rangel, da Associação de Praças Policiais e Bombeiros Militares do Seridó, na cidade de Currais Novos o policiamento também foi interrompido. Em Caicó, foram os policiais do trânsito que ficaram dentro do quartel. Ainda segundo Rangel, no 6º Batalhão, responsável pelo patrulhamento em seis cidades da região Seridó, duas viaturas estão em operação.

Há vários meses o Governo do Estado vem atrasando o pagamento dos servidores públicos do RN, o que tem gerado reação de diferentes categorias do Executivo. Paralisações, greves e protestos têm feito parte do cotidiano dos potiguares em virtude dos salários atrasados.

Do *G1 RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário